Home / Artigos / “Ressignificando vidas”

“Ressignificando vidas”

Grupos de Apoio auxiliando pacientes enquanto fazem seus tratamentos e lutam pela vida

 

Nem sempre o câncer é uma experiência negativa para algumas pessoas, principalmente aquelas que tiveram a oportunidade de dar um novo sentido a vida. Dos pacientes que participam dos grupos de apoio e que se permitiram repensar suas vidas, ouvimos depoimentos relatando que depois do câncer mudaram para melhor, e que aprenderam a dar valor à vida de uma forma mais plena.  O relato abaixo, de um dos nossos usuários, demonstra claramente isto.

 

 

“[… agora eu aceito a minha doença, entendi que precisava mudar a minha vida, não bebo mais, não fumo mais, até voltei a sentir o gosto da comida de novo, que maravilha. Tenho a minha família de volta, tenho amigos, tenho Deus agora na minha vida, tenho esse grupo que é tudo de bom, o apoio tá aqui, aqui carrego a minha bateria. Me sinto renovado, digo e repito pra quem quiser ouvir, o meu câncer salvou a minha vida. Ele me fez aprender tanta coisa. Gosto mais de mim agora e agora tenho ânimo e porque de viver]”

 

(Depoimento do Usuário da Aapecan Porto Alegre, T. M., 57 anos, portador de câncer de laringe, fez traqueostomia, quimioterapia e radioterapia em 2008. O usuário só se alimentava por sonda e participava do grupo Renascer da Aapecan Porto Alegre semanalmente. Em 2010, seus exames de acompanhamento demonstravam que não havia mais sinais de recidiva tumoral e então foi realizado fechamento de cânula de traqueostomia. Atualmente se alimenta normalmente e voltou a trabalhar, por isso, participa esporadicamente do grupo de apoio, mas relata que a Aapecan continua sendo sua segunda família.

 

Existem muitos sentimentos ligados ao adoecimento e por isso que a Aapecan investe nos cuidados integrais para os que se descobrem portadores do câncer. Reiteramos aos nossos usuários que levem extremamente a sério os tratamentos médicos, mas através de atendimento interdisciplinar, os nossos usuários e familiares recebem atendimentos complementares. Uma equipe de profissionais e voluntários comprometidos com a qualidade de vida dos pacientes e familiares forma uma rede de apoio onde estes são acolhidos enquanto fazem seus tratamentos e lutam pela vida.

 

Todas as terças e quintas, na unidade de Porto Alegre, usuários e familiares se encontram para participar de várias modalidades de atividades em grupo. São os grupos de apoio, os quais têm alta aceitação e participação continuada deste nosso público. Nas terças-feiras acontece o Grupo Renascer, e nas quintas-feiras o Grupo Expressão, intercalando as atividades de “relaxamento e visualização” e o grupo de musicalidade: “Quem canta seus males espanta”. A partir desta ultima atividade a nossa Unidade conta com o Coral de usuários que ensaiam, quando necessário, após o horário dos grupos. Todos se encantam com o coral pela alegria e demonstração que mesmo adoecidos podem cantar e celebrar a vida.

 

No que diz respeito aos grupos de apoio, ao avaliarmos estas atividades denotamos que os objetivos dos mesmos estão sendo alcançados, visto que, quando nossos usuários compartilham os sentimentos há mudanças positivas de atitude neles, o que tem sido benéfico. Em decorrência, com a possibilidade visualizada pelos portadores de novas perspectivas, observa-se a redução do nível de ansiedade e angústia. A troca de informações e experiências entre os integrantes tem contribuído para o desenvolvimento de recursos adaptativos e de enfrentamento mais eficientes. Os usuários se sentem acolhidos e compreendidos por seus pares, tornando estas vivências positivas, permeadas de atenção, cuidado, afeto e qualidade de vida.   Desta forma, e com o devido tempo, percebemos que o estigma e as representações sociais ao câncer podem ser modificados, estabelecendo aos seus portadores, uma nova relação com a doença, consigo mesmos, com os outros e com o mundo.

 

Na Aapecan Porto Alegre, também são realizadas semanalmente outras atividades e tratamentos complementares como a terapia do Reiki, atendimentos psicológicos individuais, orientações e encaminhamentos na área social, palestras informativas, orientações jurídicas, comemoração de datas especiais, oficina de artesanato, atividades de lazer, todas com o objetivo de apoiar e amenizar os efeitos psicossociais gerados pela doença.

 

 

     Enfim, estarmos adoecidos não quer dizer que não podemos ter qualidade de vida. Se aprendermos a não ficar focados somente na doença, com certeza desta experiência podemos sair mais fortalecidos.

 

Fernanda Aver Pupe

Psicóloga Aapecan Porto Alegre

Especialista em Psicossomática

CRP 07/06265

Veja Também

O diagnóstico de câncer versus a importância do tratamento interdisciplinar

O câncer é na atualidade uma das doenças crônicas que mais atinge a população em ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *