Últimos Posts
Home / Artigos / PRÓSTATA: vença o preconceito ou ele poderá lhe matar

PRÓSTATA: vença o preconceito ou ele poderá lhe matar

Próstata, o que é e para que serve?
A próstata é órgão essencial do aparelho reprodutor masculino. Sua função é a produção de secreção que integra 30% do volume do esperma (secreção expelida na ejaculação). Serve de transporte, alimento e proteção para os espermatozoides durante seu percurso na vagina rumo à fertilização. Situa-se logo abaixo da bexiga e em frente do reto, e circunda completamente a uretra, o que pode comprimi-la se houver seu crescimento dificultando a eliminação da urina.
Câncer de Próstata
A detecção do câncer de próstata vem apresentando aumento em decorrência disseminação das técnicas de rastreamento em campanhas populacionais que conscientizam a população, derrubando tabus/preconceito.
No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens.
Acomete a região periférica (externa) da próstata em 95%, por isso a importância de sempre realizar toque retal. Quando sintomas urinários manifestam-se, e o diagnóstico é tumor maligno, é grande a possibilidade de já ter espalhado por outras partes do corpo como gânglios, ossos e pulmões. Nessa fase podem aparecer dores pelo corpo, dor abdome, perda de peso, anemia e sintomas urinários (quando órgãos do sistema urinário são acometidos).
Fatores de risco que aumentam a probabilidade de tumor de próstata estão sendo estudados, sendo os principais: idade (quanto mais velho de 45 anos maior é o risco), história familiar (parentes diretos com tumor de próstata) e afro-descendentes.
A rotina do check-up anual deve ser constante na vida dos homens acima dos 45 anos e 40 anos com fatores de risco para câncer de próstata, mesmo que não apresentem nenhum sintoma.
Seu tratamento é variado, baseia-se no estágio da doença, na idade (expectativa de vida) e estado (presença de doenças graves associadas) do paciente ao diagnóstico. Ele pode incluir desde cirurgia, radioterapia/braquiterapia, técnicas ablativas locais, esses para tumores localizados. Passando por acompanhamento ativo (sem uso de intervenção terapêutica), até uso de privação hormonal (cirúrgica/química) e/ou quimioterapia para casos
mais avançados.
Se você está na idade indicada, mesmo sem sintomas, não seja prejudicado por algo que acompanha a vida do homem há muitos e muitos anos: A OMISSÃO. Não deixe O PRECONCEITO lhe causar mal, vença-o.

Rafael Rodrigues Lemos
Urologista
CRM-RS: 23925
Urologista integrante do Corpo Clínico da UROLEMOS Clínica de Urologia e Andrologia/Santa Maria – RS

Veja Também

Alimentação x Câncer de Próstata

Escolhas saudáveis de alimentação fazem diferença na proteção contra o adoecimento, bem como, é claro, a ...